Prevenção

Os exames ginecológicos de prevenção e de rotina… Quem precisa? Quais são?

Toda mulher deve anualmente realizar avaliação ginecológica, independentemente da idade e atividade sexual. Além da avaliação da saúde geral da mulher, os exames ginecológicos têm a principal função de prevenir doenças do sistema reprodutor, especialmente os tumores, além da detecção precoce de doenças benignas ou malignas do útero, ovários e trompas. Na avaliação ginecológica rotineira, os testes mais realizados são o teste de Papanicolaou, a colposcopia, a mamografia e a ultrassonografia transvaginal.

Primeira vez no ginecologista. Quando?

É preciso dar liberdade de escolha para a menina. Ela tem de manifestar o desejo de consultar um médico ou médica, se for o caso. Muitas vezes, a mãe quer levá-la ao seu ginecologista porque confia nele. Se a menina não quiser, sua vontade deve ser respeitada.

O primeiro exame ginecológico de uma menina requer toda a calma e paciência por parte do médico. Não importa se ela é virgem ou está iniciando a atividade sexual.

É muito comum a presença de medo, constrangimento e vergonha quando se faz a consulta ginecológica pela primeira vez. São sentimentos naturais pois, de certa forma, o médico vai examinar o que você tem de mais íntimo. Se você encontra um profissional com boa experiência e com boa formação, desenvolvendo boa relação médico-paciente, ele saberá como conduzir a consulta para que você se sinta suficientemente segura para deixar que ele examine sua intimidade.

É preciso conversar muito a fim de orientá-la sobre seu comportamento durante a vida toda. Não cabe ao médico dizer-lhe se deve ou não ter vida sexual. Cabe-lhe abrir os horizontes para que saiba reconhecer o momento adequado para tomar essa decisão.

Uma vez que você se sinta confiante, ficará à vontade e relaxada, permitindo um exame ginecológico bem feito, completo e sem dores ou constrangimentos.

• RESUMINDO:

* o médico vai escutar as suas queixas;

* anotar os detalhes de seu histórico e passado;

* estabelecer um vínculo de confiança e tranqüilidade;

* fazer o exame físico e ginecológico;

* pedir exames complementares;

* emitir um diagnóstico e/ou orientar um tratamento.

A importância do Papanicolaou

O teste de Papanicolaou é um exame ginecológico de citologia cervical realizado como prevenção ao câncer do colo do útero, devendo ser realizado em todas as mulheres com vida sexual ativa, pelo menos uma vez ao ano. Consiste basicamente na coleta de material do colo uterino com uma espátula especial, sendo este material colocado em uma lâmina e analisado posteriormente por um citopatologista ao microscópio. O teste avalia a morfologia das células da mucosa do colo do útero e analisa potenciais alterações nas células do colo, tais como nas infecções agudas, crônicas e nas neoplasias cervicais. Além disto, possibilita a detecção de alterações celulares sugestivas de infecção causada pelo vírus HPV (papiloma vírus humano). Este vírus altera de tal forma as células que se podem formar tumores benignos ou mesmo malignos.

Importância da vacinação contra o HPV

Uma das DST (doenças sexualmente transmissíveis) mais comuns é o papilomavírus humano (HPV), que está por trás da quase totalidade dos casos de câncer de colo do útero e de verrugas genitais.

Um estudo americano estimou que 75% a 80% dos adultos sexualmente ativos irá adquirir uma infecção do trato genital por HPV ao longo da vida – a maioria das mulheres tem o primeiro contato com o HPV entre os 15 e os 25 anos. Estima-se que cerca de 10% da população mundial apresente o vírus.

O uso do preservativo é um importante aliado na prevenção à doença. Mas os dados não são animadores. Segundo pesquisa divulgada, em 2009, pelo Ministério da Saúde, 95% da população sabe da importância do uso da camisinha. Mas apenas 46,5% das pessoas de 15 a 64 anos ouvidas pelos pesquisadores disseram adotar o preservativo em relações eventuais. Outro aliado no combate à doença é a vacinação.

Antes de iniciar a atividade sexual, além de toda a orientação que pode receber do ginecologista, a adolescente – ou mesmo a pré-adolescente – pode se vacinar contra o HPV.

As vacinas foram desenvolvidas de acordo com os tipos de HPV mais presentes no câncer de colo do útero. Basicamente, elas estimulam a produção de anticorpos específicos para cada tipo de papilomavírus.

Ambas são administradas por injeção e requerem três doses cada uma – a segunda deve ser dada dois meses após a primeira, e a terceira, quatro meses depois da segunda. O ideal é que uma das vacinas seja aplicada na mulher antes de ela iniciar a vida sexual.

Pare de fumar sem virar sua vida de cabeça para baixo

Alguns dados para você refletir:

São cerca de 4.720 substâncias tóxicas existentes na fumaça do cigarro que trazem risco à saúde. Além das mais conhecidas, como nicotina e monóxido de carbono, a fumaça do cigarro contém substâncias radioativas como polônio 210 e cádmio (aquele das baterias dos carros).

Mas você pode argumentar…: “Muitas pessoas fumam e não adoecem. Outras não fumam e adoecem”. O importante é entender o que é se expor a riscos.

Por exemplo: se você atravessar uma rua movimentada de olhos fechados, poderá chegar ao outro lado sem se machucar – mas o  risco de ser atropelado é bem maior do que se você atravessar de olhos abertos na faixa de pedestres. Da mesma forma, se você fuma, está se arriscando mais do que aqueles que não fumam.

O que acontece de bom se você parar?

Estatísticas revelam que os fumantes, comparados aos não fumantes, apresentam risco:

  • 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão;
  • 5 vezes maior de sofrer infarto;
  • 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar;
  • 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral

Além desses riscos, as mulheres fumantes devem saber que:

O uso de anticoncepcionais associado ao cigarro aumenta em 10 vezes o risco de sofrer trombose, derrame cerebral e infarto. As grávidas fumantes apresentam aumento do risco de ter aborto espontâneo em 70%; de perder o bebê próximo ou após o parto em 30%; do bebê nascer prematuro em 40% e de ter um bebê com baixo peso em 200%.

Fumar é um risco à saúde que podemos evitar

Ao parar de fumar seu corpo vai recebendo benefícios constantes. Veja só:

  • Após 20 minutos a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal
  • Após 2 horas não há mais nicotina circulando no seu sangue;
  • Após 8 horas o nível de oxigênio no sangue se normaliza;
  • Após 12 a 24 horas seus pulmões já funcionam melhor;
  • Após 2 dias seu olfato já percebe melhor os cheiros e o seu paladar já sente melhor o sabor da comida;
  • Após 3 semanas você vai notar que sua respiração se torna mais fácil e a circulação melhora;
  • Após 1 ano o risco de morte por infarto já se reduziu à metade;
  • Após 5 a 10 anos o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram

Dando o primeiro passo para deixar de fumar

O mais importante é escolher uma data para ser o seu primeiro dia sem cigarro. Esse dia não precisa ser um dia de sofrimento. Faça dele uma ocasião especial e procure programar algo que goste de fazer para se distrair e relaxar.

Você pode escolher duas formas para deixar de fumar

Parada imediata

Essa deve ser sempre a primeira opção. Você deixa de fumar de uma só vez, cessando totalmente de uma hora para outra.

Parada gradual

Você pode usar esse método de duas maneiras:

Reduzindo o número de cigarros. Para isso, é só contar o número de cigarros fumados por dia e passar a fumar um número menor a cada dia.

Adiando a hora em que fuma o primeiro cigarro do dia. Você vai adiando o primeiro cigarro por um número de horas predeterminado a cada dia até chegar o dia em que você não fumará nenhum cigarro.

Se você escolher a parada gradual não deve gastar mais de duas semanas no processo.

Mas atenção!

Fumar cigarro de baixos teores não é uma alternativa! Eles fazem tanto mal à saúde quanto os outros cigarros. Cuidado com os métodos milagrosos para deixar de fumar. Somente um médico poderá avaliar a utlização de outros métodos, como, por exemplo, adesivos de nicotina. A Clínica Bernardi conta com especialistas para assistência integral a quem deseja parar de fumar.

Parar de fumar significa uma mudança radical em sua vida?

Muitos fumantes acreditam que só poderão parar de fumar se reformularem totalmente sua vida e ficam imaginando que vai ser tão difícil que que é melhor nem tentar.

Você não precisa se tornar um atleta, passar a ser vegetariano radical ou ter uma vida sem amigo ou divertimento. Mas por que não aproveitar a oportunidade para rever sua rotina e fazer mais algumas mudanças para melhor?

Geralmente, abusamos da alimentação desequilibrada e de bebidas alcoólicas; levamos uma vida sedentária e acreditamos que os risco de adoecer estão sempre muito distantes.

Repense sua rotina

Pense no que seria possível fazer para mudar sua rotina. Buscar atividades diferentes pode ajudar quando se está parando de fumar. Para quebrar as associações que existem entre fumar e sua rotina, é necessário planejar atividades para colocar “no lugar do cigarro”. Você deve manter seus prazeres e lazeres sem o cigarro. Nesse período inicial, contudo, é melhor evitar certas situações até que você se sinta fortalecido para lidar com elas.

Invista em seu preparo físico

Procure iniciar caminhadas, de preferência em lugares agradáveis. Se não gosta de caminhar, procure outro exercício ou esporte que o agrade. Preencha seu tempo com algo que você realmente goste de fazer. Dance, pratique jardinagem, cozinhe pratos diferentes, vá ao cinema, museus, ouça música, namore, leia, bata papo com os amigos. O importante é cuidar do corpo e da mente.

O que pode acontecer quando você deixa de fumar?

Fique de olho na alimentação

Se a fome aumentar, não se assuste. É normal um ganho de peso de até 2 quilos após deixar de fumar porque seu paladar vai melhorando e seu metabolismo, se normalizando. De qualquer forma, procure não comer mais do que está acostumado. Evite doces e alimentos gordurosos. Mantenha uma dieta equilibrada, com alimentos de baixa caloria, frutas, verduras, legumes. Para distrair a fome, chupe balas ou chicletes dietéticos. Beba sempre muito líquido, de preferência água e sucos naturais. Evite tomar café e bebidas alcoólicas. Eles podem ser um convite ao cigarro. Procure trocá-los por chá e conquetéis sem álcool (como de frutas e tomate).

Lidando com a vontade de fumar

A pessoa que fuma fica dependente da nicotina que é considerada uma droga. E daquelas bastante poderosas, pois atinge o cérebro em apenas sete minutos. É normal, portanto, que os primeiros dias sem cigarro sejam os mais difíceis.

Ao parar de fumar você pode se sentir ansioso, com dificuldade de concentração, irritado, ter dores de cabeça e sentir aquela vontade intensa de fumar. Cada pessoa tem uma experiência diferente. Uns sentem mais desconforto; outros não sentem nada. Mas não desanime, tudo isso vai desaparecer no máximo em duas semanas!

Prepare-se para não voltar a fumar e CUIDADO  com as armadilhas!

Nos momentos de estresse

Quando perdemos alguém querido, passamos por dificuldades financeiras, problemas no trabalho, rompemos um relacionamento, a resposta automática pode ser o cigarro. Procure se acalmar e entender que momentos difíceis sempre vão ocorrer e fumar não vai resolver seus problemas!

Se sentir muita vontade de fumar

Para ajudar, você poderá chupar gelo, escovar os dentes a toda hora, beber água gelada ou comer uma fruta. Mantenha as mãos ocupadas com um elástico, pedaço de papel, rabisque alguma coisa ou manuseie objetos pequenos. Não fique parado – converse com um amigo, faça algo diferente, distraia sua atenção. Saiba que a vontade de fumar não dura mais que alguns minutos.

Evite o primeiro cigarro e você evitará todos os outros

Exercícios: um recurso saudável para relaxar

Respiração profunda

Respire fundo pelo nariz e vá contando até 6. Depois deixe o ar sair lentamente pela boca até esvaziar totalmente os pulmões.

Relaxamento muscular

Você pode esticar os braços e pernas até sentir os músculos relaxarem.

Relaxamento mental

Nas horas em que a vontade de fumar apertar, procure desviar o pensamento para situações boas que você tenha vivido ou queira que aconteça. Tente fechar os olhos e lembrar de uma música que você goste e te acalme.

Alguns ex-fumantes acabam voltando a fumar por estarem se sentindo tão bem que acham que podem fumar apenas um cigarro – ou só acender o cigarro de um amigo. Mesmo uma só tragada pode levar você a uma recaída. Portanto, todo cuidado é pouco…

Recompense sempre seu esforço

Diariamente: guarde o dinheiro que você gastaria com o cigarro e conte-o ao final da semana. Pegue o dinheiro que economizou e compre um presente para você ou para quem gosta; Se preferir, saia para para fazer um programa diferente.

Se você não conseguir se segurar e fumar, não desanime!

A recaída não é um fracasso. Comece tudo novamente e procure ficar mais atento ao que fez você voltar a fumar.

O mais importante é não usar  o deslize como justificativa para voltar a fumar.

Dê a si mesmo quantas chances forem necessárias até conseguir.

OK, VOCÊ VENCEU!!

Agende uma consulta com nossos especialistas para orientação individualizada e complementar. 

O que é colposcopia?

A colposcopia surgiu no inicio do século XX, quando começou-se a estudar o papilomavirus, mais conhecido popularmente por HPV (papiloma vírus humano). Esses exames ganharam maior notoriedade, em meados dos anos 70, quando conseguiu-se correlacionar o HPV com a gênese do câncer de colo do útero. A partir deste momento, observou-se que a colposcopia poderia ser importantíssima para a detecção de lesões subclínicas, ou seja, aquelas que o médico não pode detectar a olho nu. Esse vírus é responsável por quase 5000 novos casos/ano de câncer de colo do útero, sendo também responsável pelas verrugas genitais.

Salientamos ainda a importância da vacina profilática para o HPV, que ate agora tem se mostrado o mais importante aliado na prevenção e combate ao vírus.

Por meio de um colposcópio (aparelho semelhante a um microscópio), o médico pode visualizar diretamente as estruturas examinadas e direcionar as biópsias dos locais suspeitos. O exame é simples e dura de dez a vinte minutos. Ele é realizado em ambulatório ou consultório e não exige nenhuma preparação prévia. A colposcopia é parecida com o exame ginecológico comum. Enquanto que no exame ginecológico comum o médico examina diretamente e a olho nu o colo do útero, na colposcopia o médico pincela na superfície dos tecidos um líquido que ressalta as lesões e examina através do colposcópio, com ampliação de imagens. Caso seja detectada alguma área anormal ou suspeita de ser cancerígena ou pré-cancerígena, deve ser colhido material para biópsia.

A mamografia

O câncer de mama é frequentemente decorrente de uma série de fatores de risco:

  • Idade avançada;
  • Predisposição genética hereditária (5-10% em parentes de 1o grau);
  • Primeira menstruação precoce;
  • Menopausa tardia;
  • Mamas densas;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Alcoolismo;
  • Tabagismo;
  • Alguns tipos de Terapia de reposição hormonal.

Prevenção do diagnóstico tardio do Câncer de Mama.

O câncer de mama na verdade ainda não pode ser prevenido, mas sim diagnosticado o mais cedo possível. Após os 40 anos, a mamografia é um exame essencial para a detecção da doença e recomenda-se que seja feito pelo menos uma vez por ano. A mamografia é um exame em que é utilizado um equipamento de raios-x (mamógrafo) para obtenção de imagens

O ultrassom das mamas serve como complemento à mamografia, pois ajuda a diferenciar cistos de nódulos, mal diferenciados na mamografia.

Geralmente o câncer de mama não apresenta sintomas no início. A partir do momento que começa a ser palpável, pode estar associado a um caroço na mama. Também pode ser representado por áreas de abaulamentos ou retrações de pele. Manchas ou alterações na pele da mama. Ainda pode estar ligado com saída de líquido do bico da mama, geralmente no caso do câncer estes líquidos são sanguinolentos ou semelhantes à cor da água de geladeira ao descongelarmos o congelador.

Ao contrário dos que muito pensam, a dor mamária é um sintoma muito comum das mulheres, mas raramente esta associada ao câncer de mama. A dor das mamas geralmente possui causas ligadas a alterações hormonais ou emocionais.

A ultrassonografia

A ultrassonografia é o exame de diagnóstico por imagem que aproveita o eco produzido pelo som para captar e enxergar, em tempo real, estruturas e órgãos do corpo, tecidos moles e fluxo sanguíneo.

O ultrassom pélvico transvaginal ou endovaginal é o exame mais utilizado das rotinas ginecológicas e obstétricas. Por meio dele, o médico pode ter uma visualização de todo o aparelho reprodutor feminino, útero, ovários e trompas. O exame pode ser utilizado para diagnosticar miomas, câncer e gravidez. O exame é simples. O ultrassonografista vai inserir uma sonda, envolta por um preservativo e gel lubrificante, na vagina da paciente. É por meio desse objeto que o especialista capta as imagens do aparelho reprodutor feminino. A ultrassonografia transvaginal não machuca e não causa nenhum dano futuro ao seu aparelho reprodutor. Ele é indicado pelo médico ginecologista na suspeita de alguma alteração do útero, ovário e trompas, e a periodicidade varia conforme a necessidade de cada paciente. Geralmente é realizado anualmente como parte dos exames de avaliação ginecológica de rotina preventiva.

Um exame de realização rotineira que, para sua melhor comodidade e precisão no diagnóstico, realizamos no próprio consultório.